quarta-feira, 2 de Junho de 2010

Preparar uma festa de aniversário infantil


Perdoem-me a falta de modéstia mas as festas infantis cá em casa são um sucesso! É um facto. E quando o afirmo pauto-me pelas impressões recolhidas aos próprios pequenos. Expressões como: Gosto muito desta casa, é uma casa alegre, vocês são muito divertidos, adoro as vossas festas, as festas aqui são diferentes, etc, saem-lhes espontaneamente.

Já me têm dito que termos terraço e jardim é muito importante nestas ocasiões; as crianças espalham-se pelo espaço, correm, saltam com a liberdade que as quatros paredes não permitem. Eu concordo, no entanto, esse é apenas um detalhe; nós não deixamos as crianças por conta própria, uns a brincarem, outros a aborrecerem-se, outros a disparatarem. A festa é organizada a pensar neles e começa semanas antes do dia em questão.

O tema da festa é decidido pelo aniversariante; nem sempre encontro por aqui as decorações necessárias, porém, graças ao eBay, sou abastecida com aquilo que preciso. Isto é feito com umas 3 semanas de antecedência, para não haver falhas.

Os convites são feitos por mim, com opinião, aval e contributo (recorte e colagem) do aniversariante.

O menu pensado e executado por mim, novamente, aquelas coisas básicas: bolo de aniversário ( chocolate), queques, cocos, natinhas, gelatina, batatas fritas, mini-sandes variadas, fruta e por fim piza e gelado.

As actividades são organizadas e dirigidas, por nós, os pais do aniversariante; uma tarde de jogos tradicionais, que facilmente se põem em prática. Dias antes selecciono os jogos e providencio o material necessário.
- Balões e risos: dê a cada criança um balão, para encher, que será atado por um fio ao tornozelo. Estando todos prontos dá-se partida e os participantes tentam pisar e rebentar os balões dos outros. Ganha o último a ficar com balão. Este jogo é hilariante, até eu jogo!

- Corrida de ovos: cada pequeno leva um ovo cozido (embora no início eu diga que não está, eles ficam mais excitados, depois conto!) numa colher e faz um percurso. Ganha quem chegar primeiro à meta, sem deixar cair o ovo.

- Cabra-cega: uma criança fica de olhos vendados, tentando identificar a criança que conseguir apanhar. Será esse o próximo a ficar de olhos vendados. O pai das crianças é particularmente engraçado neste jogo, uma risota para a pequenada.

- Desembrulha o presente: Uma caixa grande, embrulhada com papel de presente (reciclado!) é passada de mão em mão, pelas crianças que estão sentadas no chão em círculo. Sempre que a música pára de tocar a criança que tiver o presente na mão começa a desembrulhar o mais rápido possível, até que a música volte a tocar, pois aí tem que passar para criança seguinte. Dentro da caixa grande existem várias caixas, que eles vão desembrulhando e abrindo até chegar a uma muito pequenina. Desta vez era uma caixa de fósforos, tinha um brinde, para o pequeno vitorioso.

Enquanto decorriam os jogos, era pintada uma tela, pelas crianças. A criatividade deles é enorme e nenhum se coíbe de participar, ficando a obra final como recordação dos amigos, para o aniversariante.

Finalmente a piñata, que eu não entrego de mão-beijada. Faço uma caça ao tesouro da própria piñata; dou-lhes uma primeira quadra enigmática, que eles vão decifrando e encontrando mais quadras escondidas até chegarem ao esconderijo da supra citada. As crianças fazem uma fila, dos mais pequenos aos maiores, vendam os olhos e tentam acertar na piñata com um pau. Este momento também é muito aguardado, pois é divertido e no final ainda têm muitas guloseimas e brindes, para apanhar.

Os jogos vão mudando de festa para festa, estes citados foram jogados na festa do Duarte. Vou tirando as ideias dos livros “Jogos para crianças” de J.M. Allué, nada de rebuscado e muito divertido.
Assim se passa uma tarde de festa, numa casa alegre!

Tenha um feliz dia :)